Melindres, adeus!

Por Cris Cirne Fernandes

Melindrar-se significa perder ótimas oportunidades de crescimento e aprendizado pois, aquele que se melindra, não consegue distinguir o certo do errado, o que é bom do que é ruim.

No dia a dia no trabalho o melindre é muito mais perigoso. Você se melindra e não aceita  as possibilidades. Se o melindre vier por alguma atitude de um cliente, pior. Aí é o fundo do poço pra você.

Você já deve estar pensando, porque uma designer de mídias digitais está a debater neste post sobre o melindre! Estamos vivendo em uma era em que se faz muito por impulso. Você está lendo um artigo em uma revista digital, ou gostou muito ou detestou muito sobre a opinião do autor, lá vai você abrir o Facebook, Twitter, ou outra rede que participa e compartilhar. Jogando pedras ou flores. Nada lhe possibilita uma reflexão. Somente o impulso é importante naquele momento.

Procure não se melindrar. O legal é uma opinião levar você a pensar nas possibilidades. Abrir nossas mentes, diversificar. Praticando esse exercício você não vai afastar as pessoas de suas redes.

A frase ‘Eu sei’ não deveria existir em nosso vocabulário. Na realidade ‘nada sabemos’, para ‘sempre aprender’.

O vídeo com texto de Jean Gabim completa o meu pensamento de hoje…

Share

“Intocáveis”

de Eric Toledano e Olivier Nakache
Baseado em uma história real, Philippe é um aristocrata que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss, um problemático jovem da periferia que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos, um conhece melhor o mundo do outro, e se tornam amigos.

As vezes a ajuda vem de onde vc nem imagina. Essa amizade é completamente solta. O roteiro é um dos melhores que vi este ano… vale a pena… vai mexer com seus sentimentos…

Veja o trailler

Share

… e a vida digital

Uma amiga me indagava no Gtalk: - Cris, vc já contou quantos emails responde por dia? quantos recebe?

Eu nunca tive curiosidade de contar… mas ela cutucou uma geminiana :)

Hoje, 17 de setembro, enviei 39 emails e recebi 452 emails (entre releases recebidos para avaliar para a revista Beleza Inteligente, outros para Novae, outros de trabalho, outro de parceiros de projetos, outros de amigos). Claro, sem contar os emails que chegam e caem direto nos filtros organizados (exemplo redes sociais, newsletter que assino, etc). O filtro do Gmail é ótimo para já organizar os spams todos bem lindinhos caem numa pasta com seu nome de batismo onde automaticamente vai para a minha lixeira. Sem essa organização não seria possível viver! concordam?

Um livro que li uns anos atrás … Ansiedade da Informação, foi lançado em 1991 – autor Richard Saul Wurman – porque me marcou a leitura desse livro? Pois ele me pauta hoje minha vida o que li naquela época!…  O excesso de informação está em todos os meus dias. Este livro foi escrito antes da invenção da Web. Mas acho que é muito atual. Acesso ao seu conteúdo entendemos o que estamos passando hoje. O problema do século: excesso de informação.

Deixo o link Estante Virtual (Sebo de livros) onde o livro está num preço super legal – veja

Share

Olha Eu Aqui, Mãe

Mário Prata

— Mãe, estou escrevendo na última página da Criativa.

— Da onde, meu filho?

— Da revista Criativa, mãe. Não conhece? Vende uns 500 mil exemplares por mês.

— Só? O Oscar, disseram que tinha 1 bilhão vendo. É revista de arquiteto, meu filho?

— Não, mãe. Revista de mulher.

— Pelada?

— Não, mãe, é séria. Feita de mulher para mulher.

— E você vai escrever aí? Na última pagina, ainda por cima? Por que não deixam você escrever na primeira? Por que você não escreve no Cruzeiro? Tão boa revista, meu filho.

— Já fechou, mãe.

— Meu filho, acho melhor não contar para o seu pai que você está escrevendo em revista de mulher. E a cidade, meu filho? Você conhece aqui, cidade pequena, vai todo mundo comentar: “você viu o filho dela? Sempre desconfiei…”.

— Imagina, mãe. Tem moldes, receitas…

— Receita? Você vai escrever receitas, meu filho? Você nunca conseguiu fritar um ovo.

— Não, mãe. Vou falar do meu ponto de vista sobre as mulheres.

— Meu filho, não faça isso. Você sabe muito bem que você não entende nada de mulheres. Como marido foi um fracasso. Quantas mulheres você já teve, menino? Nenhuma te agüentou. Volta para a Globo, meu filho. Vai escrever novela, vai. Tão bonitas as suas novelinhas.

— Vou falar sobre orgasmo múltiplo.

— Múltiplo? Meu filho, que vergonha. Se o seu pai sabe disso, te mata. E aParati, escreve para a Parati.

— Já fechou, mãe.

— E a Playboy? Por que você não escreve para a Playboy? Pelo menos na cidade não vão comentar.

— O Nirlando Beirão está escrevendo lá.

— Meu filho, aquele barbudinho que casou com a sua mulher? Estou quase chorando, meu filho. O primeiro marido na revista de mulher e o atual… Você está me fazendo sofrer tanto. Sabe o que eu acho, que você está escrevendo nessa revista para namorar as moças de lá.

— Imagina, mamãe, é uma revista moderna, criativa mesmo.

— Mas por que te puseram na última página? Estão abusando de você, meu filho. A gente educa, perde noites de sono, se preocupa, dá o melhor da gente para isso, meu filho?

— Pagam bem, mãe.

— O dinheiro não traz felicidade, meu filho. Na Globo, sim, que você ganhava bem.

— A revista é da Globo, mãe.

— Vai sair na televisão?

— Não, da Editora Globo.

— Mas não aparece na televisão? Ah, meu filho, que notícia mais triste. Você não tem vergonha? O Nirlando lá na Playboy e você aí? O que é que os seus filhos não vão pensar? Eu disse para você não se separar. Sabia que coisa boa não ia dar. Vão ficar rindo dos seus filhos na escola, meu filho.

— Fica tranqüila, mãe. Vai dar tudo certo.

— Eu me lembro, quando você tinha 14 anos e começou a fazer coluna social lá em Lins. Comentei com o seu pai: “Isso não vai dar certo”. Olha onde você terminou.

— Mãe, eu estou feliz. Isso é uma conquista profissional.

— Já sei de tudo. Você vai querer que eu te mande aquela receita do meu vatapá, não é? Eu mando. Mãe é para isso mesmo. Tenho também aqui uns moldes de uns “taierzinhos”.

— Não precisa, mãe.

— Tem uma moça aqui que faz umas cerâmicas muito bonitas, com rosas cor-de-rosa, uma beleza. Quer que eu peça para ela mandar umas fotos? Coitada, ela está tão necessitada. Talvez se sair aí na Criação.

— Criativa, mãe.

— E o seu chefe é simpático, te trata bem? Você tem chegado no horário, meu filho?

— É chefa. Mulher.

Meu filho, recebendo ordens de uma mulher? Realmente é melhor o seu pai não saber disso. A revista vai vender aqui na cidade?

— Claro.

— Você quer me matar, meu filho. Fala a verdade. Quer ou não quer? Uma chefa, era só o que faltava. Só falta ela ser mais nova do que você.

— É.

— É o fim do mundo. (começa a chorar, desliga)

— Mãe, mãe…

Texto extraído do livro “100 Crônicas de Mário Prata“, Cartaz Editorial Ltda. – São Paulo, 1997, pág. 137.

Conheça a vida e a obra de 
Mario Prata visitando ”Biografias”.

Share

Moda Paris: 6 anos de cor

Acompanho o blog da Ana Clara Garmendia, há 5 anos. [Pequena Bio de Ana: 
Ana Clara atua como fotógrafa de moda, realizando trabalhos junto à Vogue Itália.com e ao site americano Style.com (Conde Nast). No Brasil, Ana Clara tem várias colaborações no site Chic, revista MAG (São Paulo Fashion Week), site FFW, Erika Palomino. A jornalista ministra também cursos de moda em universidades. Recentemente fez um Workshop na Unisinos em Porto Alegre. Atualmente Ana Clara é correspondente da Vogue Brasil em Paris com uma coluna de Street-style no site deles e fotos para a coluna Miss V na revista, além de outras fotos publicadas mensalmente.]

Este mes o blog completa 6 anos na blogosfera. O Moda Paris anuncia uma mudança no layout! Eu estou mega curiosa pra ver!

Adoro oa edição de seus posts. Ana fala de moda com a naturalidade que eu leio códigos em script :) Seus posts são saborosos.

Replico um comentário ótimo de um dos ultimos posts do Moda Paris com uma novidade muito legal… vestidos com corte simples para o verão 2013!

E prepare-se para os modelos de vestidos ingênuos. Essa ideia inocente de limpeza no look pode sempre funcionar bem no verão e até mesmo no inverno. Enquanto ainda vemos exageros, um toque assim sutil chega a ser delicioso.
Muitas pulseira de macramé nos pulsos, um pouco de metal, palha e o bom e fiel Wayfarer. Very easy!!!
Bisous
Joyeux anniversaire para o Moda Paris.
Vou festejar!

Visite Moda Paris

Share

Quero mais paixão na blogosfera

Por Cris Fernandes

Mais de 10 anos implantando Blogs profissionais. Em cada blog colocado no ar, uma emoção, uma expectativa. Pois sabemos que os mercados são conversações.

Em cada pré-lançamento do blog que estamos entregando para o(a) nosso(a) cliente, passamos tb informações sobre o ambiente da blogosfera. Como este ambiente pode te ajudar e também alertando como ele pode arranhar a sua marca. Está além dos negócios, como compreendemos. Nesta ferramenta, você precisa ser você, empresa ou pessoa física. Nada de máscaras.

O verdadeiro público envolvido em torno do seu blog é aquele que curtiu o seu jeito de ser e de agir no mercado, na vida.  E que sabe que vc não está só olhando para o seu próprio umbigo, ou sabe que vc quer ter um blog para vender aquele espaço para aquela marca, caso você faça um post sobre a loja por mes. Nada contra a venda de publicidade. Mesmo porque, pela experiência que temos com os nossos clientes isso vem com o tempo. A própria loja/marca vem e pede um plano de mídia. Mas porque ela curte o seu blog e quer caminhar junto de sua comunidade. Traçou a sua personalidade.

Eu estava hoje navegando em alguns blogs ‘de moda’, pois estou envolvida em uma pesquisa (um job) para uma agência de São Paulo. Me assustei em ver que parecem cópia um do outro, sem respeitar a característica de cada região. A moda em Goiana é diferente da moda no interior do Rio Grande do Sul. Como a moda em Manaus é diferente da moda em Lages. 

Em comum, o esteriótipo meio carne de vaca: imagens de mulheres magras, bem estilizadas, tipo “oliude”, perfeitas para um merdado de janelas fechadas. 

Em pesquisa recente divulgada pelo Ibope, ficou evidente a demanda por empresas que procurem ser autênticas e verdadeiras no relacionamento com o seu público. [Honestidade – citada por 62% da base investigada –, seguido por transparência (39%), confiança (36%), integridade (30%) e respeito (24%) ]. E um dado novo: procuram a brasilidade da marca. Isso mesmo, o Brasil está em alta.

Paixão, que te quero ainda pulsando no meu peito, daqueles inicio do século, 1999, 2000,  paixão que tenho desde minha primeira experiência com a ferramenta  blog. Aprender, acima de tudo. A Blogosfera é muito mais do que posts copiados, posts patrocinados, é o que o(a) blogueiro(a) pensa. Ela é vida, ela é linkania, vida de links, debates, caleidoscópio de sensações que existe em todos os lugares que podem brilhar suas mãos. 

Blogosfera é paixão, simples assim…

Share

Esconde esconde do folclore!

a Malu me passou e eu adorei brincar com a Rafaela! Ela ganhou de mim! Conhece mais sobre o nosso folclore do que eu imaginava!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Share