Ecofont

A questão de partida para a criação da ecofont é simples: que quantidade do corpo de uma letra se pode eliminar sem que esta perca a sua legibilidade? Bastante. A resposta é dada pelo atelier de design holandês Spranq que assegura que com este tipo de letra se pode poupar cerca de 20% de tinta na impressão. Uma ideia simples mas brilhante se além do mais tivermos em conta que a sua utilização é livre e não carece de direitos de autor. A ecofont pode parecer um queijo suíço ou um alvo cravejado de balas mas não deixa de possuir um design elegante. Experimente-a.

Link para o download

Fonte do post

Share

Saquinhos de jornal para lixo seco

Vejam esta idéia que a pesquei no Blog da Cacau.

Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc), pode ir direto para a lixeira sem proteção. No caso dos lixinhos da pia e do banheiro (papel higiênico, absorventes, fio dental, cotonetes), o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos em 9 etapas passo a passo. A idéia veio do origami, que ensina a  dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí. Vamos aprender? “

Sigam abaixo as figuras.  Colaborem com o meio ambiente.

Share

Móveis conscientes

Um designer não pode ter pensamento linear.Ele precisa enchergar fora do quadrado.

Falando hoje com uma amiga que os objetos principalmente de uso doméstico pelo conceito do ‘consumismo inteligente’ deveriam ter mais utilidades. Uma mesa de dia e a noite ela vira uma cama… E vc não tem no final de semana dois móveis para limpar, teria apenas um hehehehe Bom… e aí depois ela me manda esse vídeo precioso de uma empresa italiana que desenvolveu alternativas não somente para esse tipo de consciência, mas a de quem enfrenta cada vez mais os espaços pequenos.

Curtir agora :)

Share

Fim do sigilo governamental não tem volta

Já classificado como a primeira guerra cibernética da história, o vazamento de despachos diplomáticos secretos pelo portal Wikileaks tem gerado um debate sobre a vulnerabilidade das comunicações na era digital.

Para a especialista em estudos do futuro Rosa Alegria, o caso promove a quebra de paradigmas sobre o papel dos governos e da diplomacia.

Rosa é mestre em Estudos do Futuro pela Universidade de Houston (EUA) e uma das fundadoras do Núcleo de Estudos do Futuro da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). “Estamos vivendo o começo de uma nova era, baseada na tecnologia da informação, nos bits e bytes”, explica. “O advento do Wikileaks é um marco histórico nesse novo contexto”.

Leia a entrevista da pensadora ao Brasil Econômico

Share

Moleskine se adapta a era da tecnologia

A evolução do Moleskine depois do IPad. São lindos os modelos. Vi hoje na Obvious.

O lendário caderno de capa preta e folhas de papel que apaixona famosos e desconhecidos há mais de dois séculos surge agora adaptado à era tecnológica. Mantendo a essência e o design original, faz-se também acompanhar por duas capas híbridas: uma para telefone, e outra para ligação à Internet.

incent Van Gogh, Pablo Picasso, Ernst Hemingway e Bruce Chatwin são apenas alguns dos fãs que confiavam pensamentos, esboços ou simples notas ao seu fiel caderno. Pequeno, de cantos arredondados, elástico e bolsa interna extensível, era inicialmente vendido apenas em papelarias francesas.

Apesar do sucesso, o moleskine deixou de ser comercializado em 1980 e só voltou ao mercado em 1997 pela mão de um pequeno editor milanês.

Seguindo a tradição de Chatwin (o responsável pela alcunha “moleskine”), o caderno trilha um novo caminho impondo-se como um complemento indispensável e uma marca de identidade pessoal.

Esta expansão levou a marca a fazer alguns ajustes.

Num mercado em que o papel tem vindo a perder gradualmente a sua importância, a Moleskine decidiu aliar o seu melhor ao melhor da tecnologia (telefone e Internet). Introduziu dois novos complementos para facilitar o uso em simultâneo do velho caderninho de papel e dos gadgets que hoje em dia nos acompanham para toda a parte: a SmartPhone Cover e a Tablet Cover. Ambas estas capas são compatíveis com o iphone 3G e 3GS, assim como com o Ipad. A SmartPhone Cover permite ainda o acesso ao Bluetooth e o uso de auricular ou altifalante. No interior, um revestimento em camurça protege os gadgets contra estragos ou quedas.

Ainda que não haja preços ou datas de lançamento, se estiver a pensar em adquirir algum exemplar basta dar uma espreitadela ao site da Amazon.

Imagens daqui


Share

Oi pipi girl!

Incrível a ideia! Funcional para o conforto da mulher em horas de aperto… aperto mesmo!

Qual mulher nunca se deparou com um banheiro público pouco higiênico em momentos de muito aperto?  Essa cena é mais comum do que se pode imaginar, pode acontecer na rua, em baladas, bares e às vezes fica difícil segurar a vontade até chegar ao banheiro limpinho de casa. Nestas horas todas gostariam de ser como homens e fazer xixi de pé. Mas agora isso é possível.

A proposta é prática. Vc pode adquirir o seu aqui, na loja do prazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Share